Arquivo da categoria: DICA DE APROVADO

Papo de Aprovado #7

Bom dia, boa tarde ou boa noite como vossa senhoria preferir…

Quem vos fala é a Xu, que andou desaparecida do mapa, tenho meus motivos, mas vamos deixar isso pra lá porque nas férias meua amigos vocês vão enjoar da minha cara aqui!

Hoje tem mais um papo de aprovado aqui, com um amigo meu da Med Taubaté, o entrevistado de hoje é um figura e muitos de vocês que varzearam ou varzeiam no Ensino Médio vão se identificar com essa moço…

Quem é o Gui?

Luiz Guilherme Neres da Silva, 19 anos, 1,90m, mais um paulistano filho de nordestinos. Um cara essencialmente tranquilo, procuro sempre me manter despreocupado. Tenho fanatismo por esporte! No meu (minúsculo) tempo livre procuro me manter informado a respeito do futebol, mais especificamente meu time de coração, o São Paulo J! Minha filosofia de vida é aproveitar cada fase o máximo possível (inclusive a de vestibulando)! Hoje, estudante da 45ª turma da Faculdade de Medicina de Taubaté, um dos cursos mais tradicionais do interior de São Paulo. Estou adorando tudo!!!
Porque você escolheu Medicina?

Diferente de muitos da nossa área, sem romantismos. Como já citei, sou essencialmente tranquilo… O que não disse ainda, é que já fui MUITO descompromissado. Até o fim do 3º ano, eu não tinha objetivos de vida, não tinha VONTADE de estudar, era retraído, tinha pouquíssimos amigos… Sinceramente? Olho pra trás e vejo um lixo de pessoa. Era difícil (e é até hoje) me prender a atenção, me despertar interesse. No entanto, uma coisa que sempre me fez prestar atenção na aula e pesquisar na internet a respeito, era o funcionamento do corpo humano. Acho tudo muito perfeito, e queria entender os processos que acontecem. Associado ao fato de eu gostar MUITO de gente e de ter um exemplo de uma médica formada em casa(minha irmã *__*)… TCHAN! Medicina é o que eu quero(decisão tomada no último mês do Ensino Médio)!
Como você dividia seu tempo de estudo?

Bem, tempo de estudo pra mim = meu ano de cursinho(2010)… Antes disso, não sabia o que era estudar rss! Eu considero IMPORTANTÍSSIMO ter uma rotina de estudos para se obter um resultado favorável no vestibular. Acostumar seu corpo com uma determinada carga horária de livros e exercícios é fundamental. Forçar a barra, se achar o superman, também não vale!
Rotina simples :
De segunda a sexta, pegar o metrô, chegar ao cursinho as 7 horas, assistir as aulas até 12:40, almoçar/fazer social(siiiiiiiiim, também vale) até as 14:30/15:00, e estudar no cursinho mesmo(tirando muitas dúvidas no começo, diminuindo gradativamente) até as 21:00/21:30. Acordar as 5:40 no dia seguinte.

Sábado, a aula começava as 8:00 e terminava 12:40. Almoçava(sem social agora) e estudava até as 18:00 lá no cursinho. Sábado a noite e domingo? NADA! Sem stress! Aliás, tinha um stress sim, domingo era dia de futebol e meu time estava numa pindaíba danada hahahaha! Todo esforço da semana era recompensado por esse tempo de relaxamento!

Essa era a minha rotina, eu RESPEITAVA meu corpo, minha cabeça e me preparava para o vestibular.

 

Quais eram suas maiores dificuldades?

Simples. Eu estava concorrendo com gente preparadíssima e tinha tirado 42 pontos na FUVEST 2009/2010! Como me preparar como os outros se eu estou 1 milhão de quilômetros atrás, tudo isso respeitando meus limites?
Qual era sua ‘inspiração’ nos momentos de desânimo?

Momentos de desânimo eram raros. Eu não me sentia no direito de desanimar, tendo uma oportunidade daquelas. Saudável, tendo capacidade e tempo pra estudar, pais que me incentivavam e pagavam um cursinho pra mim…  Eu tinha de agarrar aquela chance, simples assim! Quantas pessoas não gostariam de estar no meu lugar? Na faculdade mesmo, conheci gente que não teve apoio dos pais e teve que trabalhar pra pagar o cursinho por 2, 3 anos! Eu tive sorte e tinha vergonha na cara de assumir aquilo, portanto, eu me lamentava menos e estudava mais! Num eventual desânimo(somos seres humanos), eu procurava ver minha evolução em simulados ou dar uma olhada em quantos exercícios eu já tinha feito na Baby(quem fez etapa sabe rsss)

 
Como foi ser aprovado?

Pra variar, sem romantismos huauhahuahuhauuhauha. Dia 12 de dezembro, tinha UNIFESP, eu estava concentrado pra prova, mas eu me conhecia… Se eu não visse o resultado, a prova seria uma desgraça. No entanto, eu achava que uma notícia de aprovação ou reprovação naquela hora também só atrapalharia. Enfim, no meio desse dilema, vi a classificação de manhã, ESCONDI o resultado de todos, fiz a prova da UNIFESP, fui mal, e fui comemorar a noite com meus pais… Minha mãe pensa que ela contou a “surpresa” até hoje HAHAHA.
Você mudou sua visão a respeito da Medicina no decorrer do curso?

Já falei que falta romantismo na minha vida? Hahaha. Eu não tinha visão a respeito do curso, só queria entrar na faculdade, aprender a respeito do corpo humano, ajudar pessoas e ser médico! Minha ideia a respeito do curso era o que minha irmã dizia(também formada em Taubaté, 36ª turma, hoje residente de cirurgia geral do Hospital Municipal Mário Gatti, de Campinas).
Como é sua rotina hoje, de aulas e atividades atreladas ou não a faculdade?

Vish, uma loucura!

Segunda-feira, bioquímica de manhã, almoço, bioquímica a tarde! 7 horas tem reunião do Diretório Acadêmico da faculdade(órgão político, portal entre os estudantes e a pró-reitoria estudantil). O laboratório de anatomia costuma ficar aberto essa hora, vou lá pra memorizar as peças pra prova prática, fico lá até umas 10 da noite.

Terça-Feira, introdução á prática clinica de manhã, almoço, bioquímica a tarde! Tem treino de vôlei 20:30!  No tempo livre dá pra estudar, tomar um açaí com a galera…:)

Quarta-Feira, Genética de manhã, Português(isso mesmo kkkk) a tarde! Dia 100% livre, além de ter as aulas mais fáceis e que acabam mais cedo! Tem que compensar os atrasos e sair com a galera neste dia 😀

Quinta-Feira, Histologia ou Embriologia de manhã e a tarde Anatomia! Costumo ir na biblioteca a noite, me concentro mais lá!

Sexta-Feira, 24 horas de Anato, treino as 18 horas e volto pra São Paulo *__*!
Um recado pros nossos leitores & sofredores de plantão.

Não desistam, confiem em si mesmos, estudem, tentem enxergar as coisas positivas da vida. A época de cursinho é uma das melhores de nossas vidas, é só saber aproveitá-la.  Poxa, foi quando eu fiz mais amigos, eu dormia bem, eu saía de sábado, eu dava MUITA risada… Não estudava como louco, mesmo assim, subi dos 42 pontos da fuvest 2009/2010, para honrosos 69 em 2010/2011. Faltou pouco pra enfrentar uma segunda fase, no entanto, por motivos pessoais, tinha de iniciar o curso este ano, e graças a Deus consegui entrar num curso de muita tradição e qualidade. Sei que muitos estão na luta por uma faculdade pública, e pra vocês quero passar uma mensagem de tranquilidade e seriedade. Paranóias, surtadas, nunca levaram e nunca levarão ninguém a lugarnenhum… Você passa no vestibular com um misto de competência, dedicação, CONCENTRAÇÃO(portanto, SAÚDE em dia é primordial) e um pouquinho de sorte. Bons estudos a todos!
 PS: Estou pensando num post legal distrações nas férias, eu moro em Sampa sei indicar batante coisas por aqui. Queria que vocês participassem de um post meu, falando onde vocês moram e o que vocês indicariam pra quem vai passar as férias aí ou pra quem mora próximo. Conto com vocês seus bonitos! Enviem sugestões para estacaovest@gmail.com

PS2: Gente curtam nossa página no FaceBook

http://www.facebook.com/pages/Esta%C3%A7ao-Vestibular/132863393451106?sk=wall

Beijos Xu.
Garra e Superação.

Anúncios

Papo de Aprovado #5

Opa depois de alguns dias em branco voltamos com mais um papo de aprovado! E Hoje ele vai ser com Lina que é uma veteranaana da vdm, quem é mais antigo sabe do que eu tô falando HAHAHA Ela tá no terceiro ano da UCPel lá no sul e j[a foi capa da vdm…

Quem é a Lina?
Na verdade, eu não sou mais a Lina. Eu sou a Paulista =D e reza lenda que meu diploma vai vir escrito ‘Dra. Paulista Gomes França’ uahsauhsauhsauhsa
A Lina tem 24 anos, é nascida em SP, mas tá apaixonada pelo Rio Grande do Sul. Quer fazer Gineco&Obstetrícia pra lidar com parte clínica e cirúrgica.
A Lina é pisciana com ascendente em leão, então ela é desligada, apaixonada, sensível, compreensiva, competitiva, aparecida, falante e adora ser o centro das atenções. Eu tô aceitando essas coisas hoje em dia. Sou fdp quando preciso ser, fria, racional, cética, dura, me imponho e ás vezes ajo feito rolo compressor. Mas no geral, eu adoro ajudar as pessoas. Adoro conversar e brincar. ADOOORO!!!
A Lina é super carente e tá aprendendo a se aceitar, amadurecendo e sofrendo todos os dias.
A Lina é viciada em café, bons drinks, ciência, gelatina, twitter, coreografias de buatchy, aula de jump e homem inteligente.
Não vejo TV há varios meses, só quando volto pra sp. Leio muito site de notícia do RS e de SP.

A capa da vdm em 2008

Porque você escolheu Medicina?
IXI, a história é longa.
Em 2007 eu tava trabalhando de recepcionista, fiz amizade com os médicos e enfs do AMA (pronto atendimento da prefeitura de SP) e não tava feliz com a faculdade de turismo. Um amigo me disse uma vez que ‘meus olhos brilhavam quando falava do pronto-socorro’ e a sementinha já tava plantada. Foi questão de tempo até largar a faculdade e ir estudar química e física sozinha. NÃO DEU CERTO, prestei usp e unifesp de bobeira. Mas dentro do meu coraçãozinho eu tava feliz porque já tava atrás do sonho. Sabia que era questão de tempo. Muitos amigos estavam apoiando e minha mãe chorou taaanto quando contei pra ela. Fiz prova de bolsa no Anglo, peguei bolsa e fui estudar. Isso em 2008. Abri mão de bastante coisa mas mesmo assim viajei, saí algumas vezes, tive uns peguetes (UAHSUAHSUAHSAUSHA) e estudei feito uma louca, a ponto de ir trabalhar virada de lista de exercício de física ou com ressaca de química organica. AUSHAUHSAUHSAUSHA. Aí prestei em vários lugares e vim conseguir em Pelotas, pelo Prouni, que só tentei por culpa de 2 pessoas: Dra Dolores, uma médica ‘clínica geral’ das antigas, gaúcha que sentou do meu lado um dia e disse ‘vai pra Pelotas, procura aí, faculdade de medicina de Pelotas’ e a Bibis, a Bianca (que tá no 6o ano da UCPel) que me incentivou MUITO a ir pro sul e a entrar na UCPel.
Resumindo: meu emprego no AMA plantou a sementinha da medicina, a vivência de ‘ser médico’ que tive conversando com eles, mas acho que o grande negócio foi a vontade que eu sempre tive de ajudar as pessoas, meu apego a ciência.

Bibis: a culpada!

Quanto tempo de cursinho, e o que ele acrescentou à sua vida?
Um ano de cursinho, onde aprendi a estudar de verdade. Foi onde tive aulas decentes de química, biologia, física e matemática. Aprendi a aprender de verdade, e isso é essencial pra vida acadêmica. Por mais que eu já tivesse iniciado 2 faculdades, só aprendi mesmo a estudar e ter disciplina no cursinho. Acho incrível a didática que os profes tem.

Como você dividia seu tempo de estudo?
Era tenso. Trabalhava das 7h as 16h, pegava 1h de transito até o cursinho e ficava lá até as 23h, voltava pra casa e estudava até 1h da manhã. Isso quase o ano todo. Fim de semana eu dormia mais, estudava mais, ia pro plantão de dúvidas, estudava. Era terrível, mas era delicioso.
E eu viajei umas 2x (pro RJ, pra MG e pra outros lugares), fui pra umas festas (num ritmo bem menor que antes, mas mesmo assim eu curti), arranjei uns 2 namoradinhos, ia no cinema com amigas, sempre dei um jeito. Me disciplinei muito e aprendi a desencanar de certas coisas e me focar no que é importante (mas ainda sou meio neurótica com metas de estudos, tanto que falta 2 semanas pra prova e o conteúdo tá quase todo estudado, falta só revisar). Tem que ir com tato, tem que se conhecer, se aceitar e ir lidando com as próprias dificuldades. Um puta trabalho interno.

Quais eram suas maiores dificuldades?
Ixi, nem vou lembrar. Mas no geral física e química. Estudei o basicão, nunca fui excelente, sabia o mais superficial pras provas mesmo. E acho que foi suficiente, porque não tive problemas na bioquímica nem na fisiologia =D

Qual era sua ‘inspiração’ nos momentos de desânimo?
Ahhh, essa tem até foto no orkut. Fiz uma frase e coloquei num bonequinho ‘UM TREM POR VEZ’. Não lembro quem, mas teve um amigo mineiro meu que vivia falando trem e eu um dia, neurótica com os conteúdos, escrevi no papel (sempre que fico neurótica escrevo, isso é regra) e guardei. Coloquei na mesa de casa e fiz outro pro escaninho do meu trabalho. Ajudava muito a respirar na hora do desespero.
Aplicando na faculdade, quando me deparo com algo que assusta (por ser novo, diferente ou despertar medo) eu penso ‘volta no conceito, lina’.

Como foi ser aprovado?
Foi um choque, uma loucura, um tesão. Tava louca de medo de olhar meu nome na lista do prouni. Entrei lá pelas 13h, voltando do almoço. Sentei na mesa do meu colega e achei meu nome com a bolhinha verde. Fiquei bobona olhando pro monitor, meio com cara de retardada até que a assistente social virou pra mim e perguntou se eu tava bem. Eu disse ‘sim, eu passei em medicina’. Depois disso só lembro que fui pro corredor interno e saí pulando e gritando e chorando, me manchei toda de maquiagem, ganhei vários abraços, uma turma de médicos me levou pra passear e ficaram me enchendo de dicas pra faculdade. Foi sensacional.
Poucas sensações se igualam a esse dia.


Você mudou sua visão a respeito da Medicina no decorrer do curso?
Mais ou menos. Nunca tive uma visão romanceada, nem de seriados nem nada, porque senti na pele desde o começo a dureza da saúde pública (que é o grande desanimo na faculdade, por dificuldades e frustraçoes). Só percebo que tô muuuito mais crítica em relação a sociedade, aos valores que dão as coisas (vide desvalorizaçao dos médicos pelos planos de saúde, desrespeito das prefeituras, falta de plano de carreira, mercantilização/judicialização da medicina) e o impacto que a educação tem em relação a saúde e a ciência em geral (como é que se explica sobre doenças, prevenção, tratamento, reabilitação pra um povo que não sabe ciência direito?).

Como é sua rotina hoje, de aulas e atividades atreladas ou não a faculdade?
Vou fazer algo bem didático e explicadinho UAHSUAHSAUSHAUSHA porque senão até eu me perco. O fixo é:
Segunda: ambulatório de clínica médica, aula de saúde coletiva, teórica de patologia, mais uma de saúde coletiva, academia, 2h estudando.
Terça: UBS (prática de saúde coletiva), tutoria de saúde coletiva, prática de técnica cirurgica, academia, 2h estudando e cama.
Quarta: Lavo roupa, faxina no apê, teórica de dermato, pesquisa de campo, academia, 4h estudando. Ou plantão na psiquiatria.
Quinta: Pesquisa (papelada), caso clínico, teórica de farmaco,academia, reunião da liga da dor, 1h estudando
Sexta: Prática de patologia, teótica de técnica cirurgica, teórica de endócrino, prática de radiologia, téorica de reumato, teórica de patologia, 2h estudando.
Sábado e domingo: coloco os conteúdos em dia, termino a papelada da pesquisa, faço mais pesquisa de campo, vou no mercado, tomo mate, durmo, limpo o quarto, vejo filme, bebo, danço, saio com alguém, dou plantão na psiquiatria, fico neurótica. TEM QUE DAR TEMPO e sempre dá.

Um recado pros nossos leitores & sofredores de plantão.
Lutem, sempre!!! Não se desesperem, nunca achem que o mundo vai acabar ou que aquilo é a pior coisa do mundo. Não é. Não vai acabar. Tentem vivenciar um pouco o que é a medicina, conversem com médicos e o principal: NAO PRESTEM VESTIBULAR PRA ENFERMAGEM, FISIOTERAPIA OU FARMACIA. Pior coisa que existe no mundo (e tem muuuuuito) é profissional frustrado e achando que qualquer coisa é parecida com medicina. Cada profissional tem seu campo estabelecido e o conhecimento é voltado pra área. Exceto se você sentir ‘o dom’ daquela profissão, não vale a pena seguir outro caminho. Sonho é sonho e tem que virar meta pra se tornar real. Coloquem as metas e corram atrás. O primeiro passo é o vestibular, a resistência, a disciplina e o auto-conhecimento. Pra aguentar esses 6 anos, é necessário ter as marcas da guerra do vestibular. UM GRANDE BEIJO PRA TODOS, e espero encontrá-los nos congressos em alguns anos.

Quero acrescentar umas coisinhas:
– Eu chorei no dia do trote, quando virei monitora de anatomia e quando me identifiquei com uma paciente
– O primeiro diagnóstico é algo incrível e dá muito medo.
– Eu desmaiei no primeiro parto ‘normal’ que acompanhei
– Em 2009 eu achei que não ia aguentar o frio e a umidade de Pelotas, mas quando eu tirei 9,3 em anatomia eu percebi que tinha que aguentar
– A Bibis é a minha mentora, preceptora, monitora e companheira de festas
– Existe um código velado de roupas, cabelos, unhas e comportamento
– Eu sonho de vontade de ir no Intermed até hoje
– Na 2a semana de aula, apresentei um seminário superficial, com pouco conteúdo, achando que não ia dar em nada, o profe de fisiologia disse ‘você vai ser uma péssima médica, tenho pena dos seus pacientes’, eu voltei pra casa, chorei, chorei, chorei,achei que não ia conseguir estudar e estudei de raiva só pra esfregar na cara do fdp. E ESFREGUEI, porque 2 semanas depois ele tava me elogiando por responder todas questões. Por isso digo que eles transformam a gente na paulada. (Esse professor colocou 40 alunos em exame e rodou 15 da turma de 100 alunos.)
– Depender dos pais depois de ter sido independente é algo díficil, mas é recompensador
– Não fiquem neuróticos com questão de livros, xerox, dinheiro e rotina. Tentem alcançar uma coisa de cada vez. Com humildade e tranquilidade a gente consegue TUDOOOO.

Obrigada por ler.

Xu (:


Dicas & macetes

Com os muitos anos de estudo nas costas, madrugadas perdidas e monitoria atrás de monitoria, aprendemos truques que levam a fixar melhor a matéria mais complicada e virar um mito nas que tem facilidade. É sobre isso que vou falar hoje!

– 1° PERSISTÊNCIA: Desistir não é uma opção. Eu, por exemplo, tenho muita dificuldade com física e  matemática, para  aprender bem o menor conteúdo que seja preciso de horas a fio tentando e  tentando, caso contrário nada feito. Diferente de  história, leio uma vez e consigo fixar tudo que li. Mas  isso é extremamente normal. Ninguém que passa no vestibular sabe  tudo! Não se preocupe em ser ‘O  cara’ nas matérias que tem dificuldade, no entanto se esforce para fazer o melhor que puder  e obter o  melhor resultado. Desistir de matemática e física, no meu caso, pode me tirar a vaga tão sonhada!

– 2° CONCENTRAÇÃO: Cada um tem seu método, mas é importante que você encontre o seu! Eu só  consigo estudar com 100% de silêncio, local arejado, mesa e cadeira confortáveis e muitas fontes. NÃO  SE PONHA A PROVA! Se você sabe que não funciona estudar em frente a tv ou computador, não faça isso. Não estou dizendo que com todos é assim, é só um exemplo de pontos fracos que podem te prejudicar!

– 3° LEMBRETES: Eu sempre falo que um vestibulando deve estar armado de todas as bugigangas que a papelaria pode oferecer. No meu ‘cantinho do estudo’ colei uma cartolina gigante onde colo post its com fórmulas, frases que me fazem lembrar o conteúdo estudado e etc. Todos os dias leio todos os papéis pregados lá e relembro o que estudei até agora! Além disso, pela casa inteira tem post it. Na tela do computador, no banheiro, tabela periódica em cima da minha cama, uma loucura, eu sei! Mas tem me feito fixar melhor o conteúdo.

– 4° EXERCÍCIOS: Matemática, Física, Química, Gramática são matérias que não se aprende só lendo. Faça muitos exercícios, resolva muitas provas (muitas mesmo). Quanto mais provas você fizer melhor, pois vai pegar macetes de como resolver, o que cai em determinado vestibular e etc.

– 5° SAÚDE: Cuide da sua alimentação. Não adianta nada você estudar 18hrs por dia e não dormir bem, não se alimentar direito. Você pode até aguentar por um tempo, mas certeza que não dura até o final do ano! Fica aquilo que estamos cansados de ouvir: mais valem 4hrs bem estudadas que 10 mal aproveitadas. –

– 6° ASSOCIAÇÕES: Contei pra galera da VDM algumas coisas que faço pra me lembrar de palavras difíceis e todos riram de mim e me zuaram bastante. Musiquinhas, frases bobas, tudo é válido! Uma coisa que sempre faço: assim que pego a prova do vestibular, anoto todas as musiquinhas, formulas e etc que tem na minha cabeça, afinal, durante a prova é fácil ficar nervoso e se esquecer de tudo! Comigo essa técnica funciona bem.

Por último e não menos importante: ACREDITE EM VOCÊ! Seu pai, seu tio, seu primo, amigo, irmão nunca vão crer 100% que você é capaz! Essa confiança tem que vir de você, que é completamente capaz de conquistar uma vaga na universidade que escolher. Faça o melhor durante o ano todo, talvez seja suficiente, talvez não. Mas confie que vai dar tudo certo, afinal, tudo tem seu tempo determinado e a sua hora também vai chegar! O vestibular é uma grande fila, uma hora sua vez chega. Esteja preparado pra quando a sua vez chegar! 😉